Esgoto a céu aberto: entenda como pode afetar a sua saúde

A existência de esgotos a céu aberto ainda é um problema recorrente no Brasil, problema este que causa a morte de milhares de pessoas, devido a facilidade de proliferação de doenças parasitárias e causadas pela falta de saneamento básico. É muito importante ter em mente a gravidade desta questão para que ela seja tratada com seriedade. 

Neste artigo vamos apontar as principais problemáticas que envolvem a presença de esgotos a céu aberto. Todas elas evidenciam déficits políticos, ambientais e legislativos, uma vez que no ano de 2022, esgotos a céu aberto não deveriam existir. Não deixe de conferir para saber mais!

Os esgotos a céu aberto atingem as populações de extrema pobreza no Brasil 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em um período de 11 anos (2008 até 2019), foram internadas mais de 4 milhões de pessoas infectadas por Doenças Relacionadas ao Saneamento Ambiental Inadequado (DRSAI). É de se impressionar que no Brasil, mortes por Doença de Chagas, Dengue, Chikungunya, Leishmaniose, Esquistossomose e Leptospirose ainda aconteçam. 

É ainda mais impressionante o fato de que os locais mais pobres são os que menos têm acesso a tratamento de água e esgoto. É comum encontrar famílias que vivem em casas de palafita, localizadas ao lado de esgotos a céu aberto que possuem lixo, restos de comida, água suja e fezes. 

Por este motivo, insetos vetores de doenças, verminoses, ratos, entre outros, tem um ambiente propício para proliferação e, por estarem perto da população humana, conseguem transmitir as infecções parasitárias, seguindo o ciclo destes seres vivos. 

É importante mencionar que doenças consideradas erradicadas estão de volta mais fortes devido a falta de cuidado com a população mais pobre. Afinal, sem ambientes propícios, os vetores não se proliferam.

O problema está ao alcance dos nossos olhos 

Quando vemos nos noticiários reportagens sobre campos de refugiados ou mesmo de alguns países do continente africano, imaginamos que problemas como os evidenciados ali estão muito distantes da nossa realidade. No entanto, isso é uma falácia, pois, diversas problemáticas do Brasil são muito semelhantes às que vemos em outros países. 

Diante dos nossos olhos está uma parte da população que ainda vive sem água encanada, com a necessidade de despejo de desejos corporais nos rios e sem acesso a tratamento de esgoto. Tudo isso é o principal causador de problemas de saúde e da constante recorrência de óbitos por falta de saneamento. Tais óbitos atingem, majoritariamente, crianças de 0 a 5 anos. 

É preciso falar sobre tais problemáticas para encontrar meios de resolvê-las!

É muito importante conversar, colocar em pauta e trazer para dentro dos ambientes político-ambientais, a discussão sobre a problemática de esgotos a céu aberto. Inclusive em empresas que realizam serviços relacionados, como desentupidoras, de tratamento de água e esgoto e também em conferências de multinacionais. 

Tais ações reverberam para diferentes públicos e instituições de poder a relevância do problema, junto com as melhores formas de solução. O Brasil é um país múltiplo, diverso e repleto de possibilidades, contudo, é necessário discutir pautas desconfortáveis a fim de chamar a atenção para as problemáticas solucionáveis. 

Deste modo, se viabiliza a compreensão de que o problema da falta de saneamento é um problema de todos, que precisa ser resolvido com urgência e com prioridade governamental. Portanto, converse com amigos, familiares, na escola, em casa, na faculdade, no trabalho e dissemine a importância do assunto a fim de chegar até a sua resolução!

Deixe um comentário